Candidatos

   CONSELHO FISCAL

Colegas,

É claro que os debates de ideias são sempre benvindos e necessários para oxigenar qualquer organização social. Contudo, quando os discursos atingem as raias da paixão, os malefícios são inevitáveis.

Nos últimos anos, o sectarismo político dentro do Ministério Público do Maranhão tem aberto barreiras entre nós, o que gera enorme risco de enfraquecimento institucional. O fervor dos discursos contrapostos tem inaugurado dissensos que retiram o foco do que é primordial: a união em prol da sociedade maranhense. 

Nesse torvelinho de emoções, muitos de nós, porque envoltos na disputa apaixonada, não conseguimos sequer perceber (ou reconhecer) que existem grandiosos valores em ambos os lados dessa celeuma fratricida. Urge, desta forma, que os programas e diretrizes sobreponham-se à política institucional.

Sim, precisamos desse reconhecimento de valores para inaugurarmos um jeito novo de fazer política no Ministério Público do Maranhão. É preciso que se atravessem as campanhas com elegância nos debates e sem rancores no coração. Ademais, passado o pleito, não importando quem tenha obtido êxito, é preciso que todos nos unamos em atividades organizadas e permanentes de natureza institucional, para oferecermos bons serviços e ocuparmos nossos espaços com excelência no desempenho das nossas funções.

Longe de nos recolhermos à acomodação dos nossos mundos ministeriais, é preciso confrontar esse modelo de política fragmentária que assola nossa instituição com uma proposta de unidade em torno do que é de nossa natureza, fortalecendo no Maranhão uma atuação em sintonia com nossos princípios institucionais.

Com esse desiderato e após ouvir sugestões e compartilhar algumas idéias com alguns colegas, decidimos submeter nossos nomes à apreciação do eleitorado do Ministério Público maranhense nas próximas eleições para a nossa associação de classe (AMPEM).

Seremos candidatos ao Conselho Fiscal. Nossa identidade de propósitos converge para a formação de uma chapa que, além da unidade, propõe trabalhar sobre dois pilares: austeridade e transparência fiscal. Além do exercício da fiscalização das contas do(a) futuro(a) Presidente da AMPEM, propomos inaugurar uma atuação mais proativa, com posturas de caráter preventivo e independência na análise das contas.

A esse propósito, de já informamos que entendemos que uma candidatura para o Conselho Fiscal não se coaduna eticamente com apoios de e para candidatos à Diretoria. Assim, aceitamos o apoio e a adesão espontânea de qualquer colega, independente de sua escolha política dentro da instituição, mas declaramos nesta oportunidade que não apoiaremos candidaturas. Mas manteremos o respeito em relação a elas, inclusive às que eventualmente concorram conosco, sempre com o compromisso de abordagens éticas, sem ataques pessoais e longe de posturas que signifiquem adotar o vale-tudo pelo voto.

Desejamos boa sorte aos candidatos à Presidência e que o vencedor contribua para o engrandecimento da nossa entidade de classe e para o fortalecimento de nossos desafios institucionais.

Oportunamente, compartilharemos com os colegas o detalhamento das nossas propostas.

Cordialmente,

Francisco Fernando de Morais Meneses Filho, Promotor de Justiça de Pastos Bons

Joaquim Ribeiro de Souza Júnior, Promotor de Justiça de Santa Luzia

José Márcio Maia Alves, Promotor de Justiça de Barreirinhas

Anúncios

Sobre José Márcio

Blog de José Márcio
Esse post foi publicado em Institucional, Maranhão e marcado , . Guardar link permanente.

8 respostas para Candidatos

  1. Desejo sorte e muito sucesso aos colegas. Não podemos dar de ombros e o engajamento é necessário. Contem comigo, aqui de longe, no que puder contribuir.
    Márcio Berclaz
    MPPR

    Resposta: Márcio, ficamos honrados com sua torcida e disponibilidade.
    Um grande abraço!

  2. marco antonio santos amorim disse:

    O Conselho Fiscal tem importante papel no controle e fiscalização da correta aplicação dos gastos da entidade classista. Contudo, mais do que a relevância da função em si, a candidatura desses três valorosos colegas é permeada de simbolismo. Símbolo de uma geração que gosta do que faz (e o faz com competência), o trio, em boa hora, coloca-se à disposição de todos como alternativa numa política que tem se mostrado marcantemente sectária. Demonstram, com isso, que estão insatisfeitos mas que não se querem quedar inertes. Não buscam inimizades, apenas marcam posição. É chegado o momento do Promotor de Justiça ter consciência do importante papel que lhe foi confiado pela Constituição de 1988. Não é crível (mas infelizmente factível) que se permita comprar por esta ou aquela regalia, um adiantamento aqui, uma preferência ali, a acomodação de um apaniguado acolá, uma furada de fila, uma diária, uma boa Promotoria, o retardamento de sua ida para o interior, uma permuta, a garantia de uma promoção, enfim, que faça exatamente tudo aquilo que lhe incumbe combater. Eu acredito e desejo um outro MP, mas esse “novo” Ministério Público reside dentro de cada um de nós. Primeiro devemos mudar a nós mesmos. Parabéns aos colegas pela ousadia e BOA SORTE!

    Resposta: Marco, agradecemos pela generosidade das palavras.
    Grande abraço!

  3. Celso Coutinho disse:

    Esse é o tom e essa deve ser a prática. Li com intensa alegria a mensagem desses três extraordinários membros do Ministério Público de nosso Estado. Não que a solidão de pensamento me aborreça, mas é alvissareiro ver que, também, há quem pense na instituição ministerial movido sem as peias do sectarismo gangrenoso que se tem visto com frequência. Torço mesmo que isso contagie a classe e que os membros do Ministério Público do Maranhão rejeitem com ênfase serem rotulados pelo partidarismo e se atalaiem dos tocadores de tuba que, de repente, queiram se apresentar como trombeteiros da paz.

    Repito o que já disse.

    Devemos ser intransigentes na defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis, sem, no entanto, estarmos atuados pelo espírito de Simão Bacamarte (criação machadiana, na obra “O Alienista”) ou de Javert (personagem da obra “Os Miseráveis”, de Victor Hugo). Não existe um salvador entre nós. Somos todos humanos, personalidades da vida real, com as suas vicissitudes e idiossincrasias. Não há Revolta dos Canjicas ou força revolucionária que dê jeito. Ninguém escapou das obsessões de Bacamarte e de Javert, nem eles próprios.

    Devemos nos olhar com respeito e sem as desconfianças bacamartianas ou javertianas. Que se digladiem as ideias e, não, as pessoas. Que se esgrimem as propostas e, não, os dedos em riste. Que o debate se desenvolva com a consciência de que todos os seus atores têm contribuições a dar. Não se pode achar que só um tem a régua onde se mede o certo e o errado.

    O debate é uma exigência para o aprimoramento do Ministério Público e não labora a favor da instituição quem o obstaculiza seja de qual modo for, inclusive furtando-se a ele ou travando-o com força desmedida, pois, por certo, neste último caso, amanhará, no lugar da peleja de propostas, a disputa pelo posto de guardador da verdade.

    Fernando Meneses, Joaquim Junior e José Márcio são três exemplos de debatedores sinceros, que colocam serenamente suas opiniões, o que não lhes é impedimento para apontar os equívocos e indicar os caminhos a serem seguidos no sentir de cada um, sem recorrerem aos discursos anatemáticos e injuriosos. Merecem o crédito da classe.

    Celso Coutinho, filho.

    Resposta: Celso, ficamos gratos por entoar e entender o nosso discurso e as nossas pretensões.
    Um grande abraço!

    • Nahyma Abas disse:

      Esta boa nova certamente inaugura um momento importante na nossa instituição. Muitos talvez não entendam a grandiosidade dessa iniciativa, ou, talvez, questionem por que uma candidatura apenas para o conselho fiscal da AMPEM, sem apoio a nenhuma chapa que esteja concorrendo à diretoria. Mas penso que o propósito de conferir mais união à classe, numa soma de idéias e objetivos, deixando bem claro que o apoio a essa chapa independe da opção que cada um fará pelas candidaturas à diretoria, demonstram a grandeza desses colegas e suas inestimáveis preocupações com o nosso futuro, caso persista esse sectarismo desenfreado e pernicioso. Conheço o trabalho de cada um deles, até pela afinidade de ideais, o que me deixa extremamente otimista. Contem comigo nesta caminhada.

      Resposta: Nahyma, além de valorosa colega, você é generosa. Obrigado pelo apoio e pelas palavras.
      Grande abraço!

  4. Alessandro Brandão Marques disse:

    Sou um otimista e acredito que o MP maranhense sairá fortalecido e aprenderá com os momentos de turbulência. O já tão falado (e criticado por todos) sectarismo vigente, após vencido, fará nascer um MP melhor e desejo que os discursos que ora reverberam se transformem em práticas coerentes. Parabéns aos colegas Francisco Fernando, Joaquim e José Marcio por essa iniciativa que somente faz fortalecer em mim o otimismo.

    Resposta: Alessandro, seu desejo é o nosso desejo!
    Obrigado e um grande abraço!

  5. Juarez disse:

    Registro a satisfação de ver três companheiros tão valorosos pondo-se à disposição para incrementar um rico debate de valores e posturas que podem revigorar nossa instituição! Boa sorte!

    Resposta: Juarez, agradecemos pela generosidade das palavras.
    Grande abraço!

  6. Gilberto Camara disse:

    Mesmo de férias, fui alcançado por esta grande notícia. Há um ano me recusei a fazer parte desse sectarismo que tanto mal tem feito à nossa Instituição, Mas é bom que se diga que muitos foram iludidos com promessas de uma vitória em primeiro e “segundo” turnos, esta segunda que jamais viria. A outros foi conferida “ordem de missão” de jogar em minha pessoa a pecha de candidato laranja, como se gastar tempo, dinheiro e muita paciência em prol de um ideal de renovação fossem atitudes que se assemelhassem àquela deliciosa fruta cítrica. Mas por não ter vocação para essa fruta, fomos à luta e o resultado daquela peleja mostrou que não estava sozinho. O lançamento desses três valorosos e promissores nomes certamente em muito contribuirá para que mudemos essa página de nossa história que teima em não ser virada e tem sido prodígia em exemplos que nos enchem de vergonha. Como já disse,a renovação virá e os seus sinais começam a ser sentidos. Boa sorte a vocês três.

    Gilberto Camara

    Resposta: Gilberto, ficamos gratos pela força.
    Grande abraço!

  7. Eduardo Nicolau disse:

    Estou muito contente com a proposta desses três valorosos Promotores de Justiça e espero que esta prática seja amplamente aceita pela classe.
    Necessitamos de ações desse porte para engrandecer a nossa Instituição.

    Resposta: Dr. Eduardo, seja bem-vindo ao blog.
    Agradecemos pela generosidade das palavras.
    Um grande abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s